segunda-feira, dezembro 18, 2017

Cobras aladas



Aperte o parafuso, toda vez que a luz apagar e terá um pouco mais de brilho
Onde as andorinhas fazem ninho,
Encha de brilho  gaste toda energia, sucumba a toda a forma de mandamento, seja frio seja frio, sinta frio, seja o frio, é assim que chocamos, onde as andorinhas fazem ninho.

Suba a escada, desça a escada, submissão, dor e rendição
Onde as andorinhas quebram asas
Enfaixe, restaure, doe, a quem doer, a dor que vai doer, e vai doer, e doera uma vez mais
Mas você voará, do ninho das asas quebradas.

Que alegria, que sensação, rendição, vitória
Onde as cobras não devoram almas
Almas de andorinhas
Aves que não te chutam do ninho
Onde sua alma pode descansar

Tristeza, não ensinei meu pássaro a voar
Bem que tentei, mas o veneno era forte demais, onde as serpentes criam andorinhas.

Agora cansei de andorinha, cansei de sugar veneno, onde andorinhas aprendem com serpentes.
Já vejo que perdeu suas asas, ganhou coro novo, faz barulho na antiga  e bela cauda?
Não posso mais cuidar de andorinhas, criei trauma das serpentes, onde o coração perde as asas e morre.


segunda-feira, maio 29, 2017

sexta-feira, dezembro 02, 2016

olho fechado

Continue em frente pequena garota, há mais dor pro lado de lá
 E eu não estarei por perto desta vez
As cordas presas em seus braços e pernas, fantoches da paz
Flores com cheiro de celas.

E essa pequena arma embaixo dos braços
Palavras da salvação, porque não nos sentimos salvos?
Veja a velha porta, caminhos estreitos e cheios de espinhos,
estando sempre sozinhos.

Cansei de bater a madeira, entalhar e esculpir
Os batentes eu que fiz, eu coloquei
Abro se quiser, fecho se quiser
Onde está o que nos foi prometido?

Muitas respostas pra poucas perguntas
Homens de muitas promessas

Um lugar no céu atrás do véu.


deixe seu amém

Confie, siga, aceite
Obedeça
Ajoelhe, levante, amem
Polichinelo santo
Pegue no santíssimo
Siga meu coração

Acredite, confie, palavra
Adoração
Levante bem as mãos
Estenda bem as mãos
Molhe o seu rosto
Purificação
Santificação
Que mal tem? Se é pro bem toda a destruição

Me de mais um pouco do que você tem
Eu vou multiplicar
Templos, bispos, pastor
Tenha um pouco mais de fé
Tenha um pouco mais de fé
Tenha um pouco mais de fé
Tenha um pouco mais de fé
Tenha um pouco mais de fé
Tenha um pouco mais de fé
Pão e circo pão e vinho

Pão e circo pão e vinho


procrastinar

Desculpe senhor  vai ter que esperar
Achei que estava pronto pra pular
Pra puxar o corte pulso abaixo
Dar o ultimo nó na ultima corda
Mas tenho um pequeno assunto
Um compromisso qualquer.

Reserve minha  gaveta gelada e meu saco preto
Eu prometo,  já vou voltar.
Mas eu tenho que ainda tentar
Alongar as pernas, antes de pular
Aquecer o corpo antes de esfriar
Treinar a  pontaria antes de atirar.

Mas por favor, não esqueça eu quero estar ai.
Só preciso sair rápido arrumar meu testamento,
Deixar o paletó separado,
Engraxar os sapatos,
Escolher a camisa,
A madeira,

E rezar uma ultima vez.